POR QUE DEUS NOS SALVOU? TEXTO CHAVE: Ef 1.5,6

O investimento de Deus para nos alcançar e trazer a sua comunhão foi algo extraordinário! Só Deus poderia ter planejado e executado algo tão completo e perfeito. Você pode imaginar o que significou para o Pai Celestial enviar o seu único filho, com quem convivia em plena harmonia no céu? Mas por amor a toda a humanidade ele liberou Jesus para que se humanasse, morresse numa cruz tomando sobre si nossos pecados e removendo toda a culpa que pesava sobre nós por causa das nossas iniquidades. Tudo isso, além de ser necessário se quisessem que os homens fossem salvos, também demonstrou o interesse dEle ter os homens perto, num relacionamento especial e abençoador. Por que Deus nos salvou?

1. Para que nos tornasse seus filhos – v.5
O texto diz que essa decisão já estava tomada bem antes de nascermos, aliás, até mesmo antes do próprio mundo existir (Ef 1.4). Todos são criatura de Deus, mas filhos são aqueles que acolhem o evangelho e recebem a Cristo como seu salvador e Senhor (Jo 1.12,13). O texto de João diz que essa filiação não é um processo normal, mas uma ação de Deus que, ao nos salvar, simplesmente decidiu ser nosso Pai. Isso é algo maravilhoso porque nos coloca num nível de relacionamento especial com Ele, também nos permite usufluir de todas a s promessas e benção que Ele tem reservado aos que são seus filhos. Por outro lado, nos coloca numa posição de responsabilidade, pois como filhos precisamos confiar nEle, obedecer suas orientações e andar em sua presença. Desfrute da sua condição de filho, mas também, seja responsável nessa sua posição!

2. Para amar e glorificar Seu nome – v.6
Como filhos somos desafiados a amar o Senhor de todo o coração. Foi o que Jesus falou ao estudioso da Lei que chegou perto dEle e lhe perguntou qual era o mandamento mais importante (Mc 12.29,30). Não só amar mas glorificar Seu nome deve ser a tônica da nossa vida como filhos. Com certeza, podemos fazer muitas coisas, mas se não vivermos para amar e glorificar a Deus estaremos falhando. É fundamental fazermos o que é mais importante, e o mais importante é amarmos a Deus acima de qualquer coisa. Quando o foco da nossa atenção está voltado para Deus, sem dúvida alguma, tudo aquilo que necessitamos Ele nos dará (Mc 6.36). De fato, uma vida que glorifica o Seu nome é tudo o que Deus espera de nós, e quando assim vivemos nos sentimos felizes e plenos, pois acertamos o alvo e cumprimos com o nosso papel. É importante que saibamos que nascemos destinados para Ele, para o seu louvor, para amá-lO e glorificá-lO. Quando nos voltamos para isso, descobrimos o verdadeiro prazer e a verdadeira alegria de existir.

3. Para proclamar o evangelho de Jesus – 1 Pe 2.9
No texto lido diz que somos raça escolhida, sacerdotes do Rei, nação completamente dedicada a Deus, povo que pertence a Ele. Agora, o texto diz também que nós somos tudo isso para cumprir com uma tarefa. Qual é essa tarefa? “Vocês foram escolhidos para anunciar os atos poderosos de Deus”. Uma outra tradução da Bíblia diz “…a fim de proclamardes as virtudes daquele que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz”. Fomos escolhidos por Deus para proclamarmos o evangelho de Jesus. Pedro deixa isso claro quando se refere a igreja nos chamando de “Sacerdotes do Rei”. Todos os filhos de Deus têm ministério a ser exercido. A obra de Deus não é responsabilidade somente de alguns, mas de todos. Por isso, além de sermos filhos, amar e glorificar a Deus sobre todas as coisas, precisamos estar prontos também para exercer o nosso ministério, realizando a obra de Deus.

Gancho Evangelístico: Foi Deus quem nos salvou e o fez com proprositos bem claros e definidos. Primeiramente, para que fossemos filhos e como tais, pudéssemos nos relacionar com Ele como nosso Pai amado. Depois, para o amar e o glorificar. Como Deus e Pai Ele merece todo o nosso amor que precisa ser demonstrado pela forma do nosso relacionamento com Ele e, também, pela nossa obediência a Sua voz. Por último, fomos salvos para proclamar o Seu amor, Sua salvação para aqueles que ainda não desfrutam daquilo que já recebemos de Deus. Entendendo e vivendo estes propósitos nossa vida será prazerosa e de constante alegria. Consolide!!

Ap. Claudemar Rheinheimer – 16/06/2017.