500 ANOS DE REFORMA TEXTO CHAVE: Rm 1.17

Foi o versículo acima que Deus usou para revelar a Lutero que o perdão dos seus pecados não dependia de boas obras que ele fizesse, mas da sua fé na obra realizada por Jesus na cruz. Mas sobre isso falamos no culto da terça-feira passada. Reforma é tempo de celebrar no campo da religião, do social, do político, da economia. Reforma não foi só o sair de um jugo religioso! Com certeza, vem desafios muito maiores que clamam por uma “NOVA REFORMA”. Agora a reforma é nas famílias, que foi o tema de 2017! E a responsável por esta reforma é a igreja. E como a igreja é composta de famílias, então, estamos com desafio muito maior ainda. A reforma da nossa família requer decisões e ações tremendas e variadas da parte de Deus nas nossas vidas. Vejamos algumas delas:

1 Reforma nas nossas tradições.
Reforma nas tradições implica em quebra de amarras na minha alma, das prisões nas minhas emoções, a cura dos arranhões no meu interior. O nosso século nos adoeceu! Os acontecimentos sociais, políticos, econômicos superam todos os ocorridos no passado. Nossos filhos e netos terão mais desafios na mente do que todas as gerações passadas. Por exemplo, a internet é boa para quem sabe usar, caso contrário, a imoralidade escancarada por ela estará invadindo nossa casa e a sociedade como uma avalanche. E o pior é que adoeceu tanto a nós como os nossos descendentes, as gerações que vem depois de nós. Se não nos posicionarmos, será a maior catástrofe da história que afetará a vida espiritual, a relação verdadeira e comprometida com Deus. Muitos Sacerdotes adoeceram e as igrejas estão enfermas. O rebanho de Jesus pasta sem destino. O que fazer? Reforma, trazer de volta ao foco estabelecido pelo Senhor na sua Palavra (Sl 119.105; 2 Tm 3.16). Mas, uma geração, um povo dentre esse povo está se levantando. Graças a Deus, um remanescente da igreja está recuperando as forças para avançar e mudar a realidade, você e eu.

2 Uma geração de reformistas
Normalmente quando se fala em reforma se pensa em paredes e coisas. No entanto, Reforma, acima de tudo, é a transformação do caráter, uma mexida restauradora no nosso interior pela ação do Espirito Santo. Existem muitas pessoas que sabem ornamentar uma parede, por exemplo, mas não sabem cuidar da sua própria alma. Há tantas pessoas totalmente bagunçadas por dentro! Conseguem arrumar as coisas por fora, mas estão destruídas por dentro. Por isso, precisamos nos voltar a Deus e a sua Palavra para que trabalhem em nós de tal forma que o velho, o empoeirado, o torto dentro de nós seja tocado e restaurado pelo Senhor para que, então, nós possamos também, ser usados para participar na Grande Reforma que o Senhor tem projetado na sua igreja nos nossos dias. Seja alguém que se deixa reformar para que o Senhor possa ter em você um parceiro no seu projeto de uma Reforma ampla nos nossos dias.

3 Reforma é um convite ao novo.
Todos os ambientes reformados são agradáveis, são desejáveis. Mas ambientes que se conserva no passado são evitados, porque não atraem. Todos os reformadores têm a missão de gerar o novo nos outros, depois de receberem o novo na sua própria vida. Toda a reforma externa sem uma mudança interior é uma obra falsa. Primeiro precisamos reformar a “casa da alma”, para depois sermos canais para reformar os ambientes que nos cercam. Todo o reformador é um líder de destino para esse tempo. Nos deixando ser reformados e cumprindo nosso chamado para sermos reformadores, com certeza, marcaremos essa geração. Isso é reforma! Igreja e família lutando juntos para arrancar as doenças em todas as áreas onde elas têm se instalado.

Gancho Evangelístico: A reforma protestante do século XVI foi de um valor inestimável para a igreja daqueles dias. Trouxe de volta verdades e doutrinas que se havia perdido na igreja da idade média. Jesus, Escrituras, graça, fé foram verdades bíblicas que devolveram ao homem a sua comunhão com Deus e devolveram Deus ao homem para que pudessem novamente relacionar-se pessoalmente. Agora, não podemos imaginar que tudo está resolvido. Não! Reforma é um processo continuado que só pode cessar por ocasião da volta de Cristo. Hoje precisamos continuar nos voltando a Deus para que sua obra tenha continuidade na nossa vida. Mas além de sermos abertos e sensíveis as reformas que o Senhor quer continuar operando, precisamos também nos expor nas mãos de Deus para sermos protagonistas da reforma na vida dos que também precisam para que, assim, a obra de Deus seja cada vez mais ampliada e aprofundada nas vidas. Consolide!!!
Ap. Claudemar Rheinheimer – 06/112017.